Por que você precisa das aulas de Português?



Muitos estudantes, ao longo da sua trajetória escolar, se questionam sobre a importância do aprendizado da Gramática nas suas vidas. Isso também ocorre bastante com outras disciplinas do nosso ensino escolar básico brasileiro.

Alunos que, desde a infância, apresentam afinidades com certas disciplinas questionam a utilidade de se estudar outras. O que, na verdade, é um processo muito natural em um sistema escolar que despreza a capacidade individual. 

Com a nossa “sofrida” Língua Portuguesa, não é diferente. Independentemente da capacidade linguística de cada um, o ensino do Português no Brasil se confunde com o ensino da Gramática. É preciso entender que aprender Gramática é apenas um dos elementos que compõem o estudo da nossa Língua. A pergunta que fica é: “Por que você precisa de aulas de Português?"

Alunos do universo dos concursos públicos precisam ter bem definidos alguns pontos que o farão chegar à sua aprovação desde a primeira aula de Português:

1. Não estou aqui para aprender Português. Estou aqui para aprender a fazer prova de Português.

2. Do início ao fim da prova de Gramática, precisarei apenas julgar ou marcar uma opção correta. Isso significa que você pode gabaritar uma prova de Português sem ter que escreveruma palavra sequer.

3. Não pretendo ser um teórico em Língua Portuguesa. Necessito ser um prático em provas de Português. Teoria corresponde a 30% de sua aprovação. O restante será de caráter pessoal,corresponderá à quantidade de tempo que o candidato dedicou a enxergar como a teoria é cobrada na prática.

4. Não estou aqui para falar melhor. Já parou para pensar que a prova não é oral (exceto alguns altos cargos jurídicos)? A maneira como você fala não define a sua nota em uma prova de Língua Portuguesa.

5. É preciso separar a oralidade da escrita e a informalidade da formalidade. Em casa ou com amigos, nós empregamos uma linguagem mais informal que em provas ou em uma entrevista para emprego. Existem níveis de linguagem. A sua prova cobrará o escrito-formal.

6. Quanto mais exercícios fizer, mais preparado o candidato estará. A única forma de se conhecer a “mente” da banca examinadora é resolvendo as questões elaboradas por ela. Quanto mais atuais forem as questões, melhor.

7. Escrever melhor é consequência. Em uma aula de GRAMÁTICA, o objetivo do professor não deve ser fazer os seus alunos escreverem melhor. O desenvolvimento da escrita dar-se- á de forma natural e gradual, à proporção que o candidato passa a ter contato com o Português padrão, ou seja, com as regras.

8. Gramática é um sistema lógico. Com isso, despreza-se o decoreba. O aluno precisa entendera lógica no estudo da Língua Portuguesa. Isso não é fácil, pois quebra muitos paradigmas escolares, mas faz o candidato ter real chance de gabaritar.

9. Interpretar é um exercício diário. Não é uma aula mágica que fará o candidato aprender ainterpretar. O que o professor pode fazer é fornecer caminhos para que os candidatos aprendam a resolver as questões. O ato de interpretar é diário e demanda muita leitura.

10. Otimize o seu tempo de estudo. Estude o que realmente vá cair. Comprar uma boa Gramática e ler da página 1 até a página 1000 fará você perder muito tempo e sentir o desânimo natural de quem estuda o que não cai.

Deve-se, na verdade, buscar uma boa orientação de um especialista em concursos públicos sobre a ordem dos conteúdos que, se for seguida, faça sentido. O meu conselho é: comece os seus estudos por Classes Gramaticais. Mesmo que você não seja um estudante com uma boa base escolar, estudando certo você obterá êxito.