Muitas pessoas, ao serem indagadas sobre a escolha de um dos dois termos que definem sua atividade atual, pensariam: “As duas palavras não querem dizer a mesma coisa?”. Assistindo a um vídeo do professor Pierluigi Piazzi, em uma rede social, eu fiquei curioso para saber o que ele diria a respeito da diferença de significado dos dois vocábulos. Antes de dissertar acerca da diferença proposta pelo professor, vamos ao dicionário Michaelis Moderno:

Aluno: O que recebe instrução em colégio, liceu ou escola superior. Col: classe. 2 Aprendiz, discípulo, educando.

Estudante: adj m+f (de estudar) Diz-se de quem estuda. s m+f 1 Pessoa que estuda.

O dicionário Priberam traz a seguinte definição:

Aluno: substantivo masculino. 1. O que recebe de outrem educação e instrução. = APRENDENTE, DISCENTE. 2. Discípulo. 3. Aprendiz.

Estudante: adjetivo de dois gêneros e substantivo de dois gêneros. 1. Que estuda. 2. Pessoa que .frequenta qualquer estabelecimento de ensino.

É justamente a respeito disso que o professor versa em seu objetivo e curto vídeo. Ser um aluno e ser um estudante são papéis essencialmente diferentes. O candidato à vaga em concurso público precisa saber desempenhar com competência os dois papéis. Assistir às aulas é um processo passivo, é extremamente importante, inclusive. É o momento no qual o candidato enche o seu banco de dados de conteúdo. Isso preciso acontecer. É nesse momento em que o aspirante a uma vaga no concurso tem contato com o que eventualmente aparecerá em sua prova.

Porém, enquanto o candidato está recebendo as informações, ouvindo com atenção, copiando do quadro (ou do slide), fazendo conclusões e deduções a respeito do conteúdo que lhe está sendo transmitido, ele precisa ter consciência de que ainda não está estudando.

Estudar, segundo o professor, “é um processo solitário e ativo”. É justamente dessa forma! Fazer revisões, praticar exercícios incessantemente, escrever aquilo que entendeu, produzir resumos, desenhar tabelas, criar mapas mentais. Tudo isso faz parte do ato de estudar. Certamente é um processo muito mais difícil e exige muito mais dedicação e disciplina do que simplesmente sentar e ouvir. Mas o segundo não existe sem o primeiro e o primeiro não funciona sem o segundo.

Ninguém pode estudar por você. O candidato até pode discutir os conteúdos com outras pessoas, conversar a respeito das aulas e das bancas; contudo, o ato de estudar é íntimo, é interno, é individual. Cada pessoa desenvolve seus métodos, seus melhores horários, seus dias da semana, suas marcações de texto. Assista às aulas com muita atenção; entretanto, não julgue isso suficiente. Busque mais. Estude mais. Estudando certo. Assim, a vaga será sua.

Professor Fabrício Dutra

“aluno” e “estudante”, in www.michaelis.uol.com.br. [consultado em 23-02-2016].

“aluno” e “estudante”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/DLPO/aluno [consultado em 23-02-2016].

Não há comentários

Deixe um comentário